icone deA relação de amor/ódio da Nintendo com o mobile

CRÓNICA


A relação de amor/ódio da Nintendo com o mobile

Por Gustavo Pereira a


MOBILE
5

5 Comentários...

#1 Rony G

18 de Dezembro, 2016, 14:59

delas é que Pokémon Go não foi um lançamento qualquer mas sim o maior lançamento da história do mercado móvel
É verdade, mas o Pokemon Go foi lançado em Android e iOS simultaneamente... ao que tudo indica só no iOS o Super Mario Run está a bater esse recorde para iOS! Ou seja, só nesse sistema está a ter melhores resultados. Claro que no geral não os pode ter porque Android representa uns 80% do mercado de telemóveis. (apesar dos iOS gerarem sempre mais valores de vendas apesar da diferença de percentagens)
#2 VT

18 de Dezembro, 2016, 16:20

@Rony G tens que ter em conta que o pokemon Go foi lançado aos poucos em cada país, os números do Run não podem ser comparáveis visto que está disponível em todos os países.
#3 gusema

18 de Dezembro, 2016, 17:56

Rony G
É verdade, mas o Pokemon Go foi lançado em Android e iOS simultaneamente... ao que tudo indica só no iOS o Super Mario Run está a bater esse recorde para iOS! Ou seja, só nesse sistema está a ter melhores resultados. Claro que no geral não os pode ter porque Android representa uns 80% do mercado de telemóveis. (apesar dos iOS gerarem sempre mais valores de vendas apesar da diferença de percentagens)
Quando escrevi o artigo ainda não tinha sido lançado o Super Mario Run mas duvido que que consiga bater o valor total do Pokemon Go.
#4 BraveBold

18 de Dezembro, 2016, 19:28

Mais um nice artigo
Eu inicialmente pensei que a Nintendo não iria conseguir atrair para o mercado dedicado pessoal do mercado mobile
Mas, tal como esta no artigo, Pokemon GO fez isso e fez muito bem
Resta saber se o mesmo efeito é possivel de ser replicado em títulos como Mario, Fire Emblem e Animal Crossing
#5 Sérgio Mota

19 de Dezembro, 2016, 11:13

Ao nível de Marketing estamos a assistir a uma aposta da Nintendo sem precedentes. Presença na key note da Apple, em talk shows. Anuncio de um Parque de atrações dedicado á Marca a tempo dos Jogos Olímpicos.
Quanto ao caso especifico do Mobile gostava de perceber onde se separa o Marketing da Nintendo de o da própria Apple.
Se é pura sinergia, ou se é uma das marcas a capitalizar o nome da outra.

O artigo não aborda o caso miitomo, mas é importante compreender se o sucesso que vemos se relaciona com o que a Nintendo aprendeu nessa experiencia. Ou se por outro lado, o Marketing associado se deve apenas a colaboração das duas gigantes.

Queres comentar? Faz o teu registo aqui.