icone deXenoblade Chronicles 2

ANÁLISE


Xenoblade Chronicles 2

Uma grande viagem.

SWITCH

Por Manuel Morais a


Nota
8
Muito Bom

Manuel Morais, WebAdmin

Nasceu com uma Super Nintendo e o Zelda Link to the Past na mão, e é fã Nintendo desde essa altura, apesar de não compreender o fascínio por Pokémon. Além de ajudar nas análises, é o programador que mantém o site a funcionar.

20 Comentários...

#16 ze_samot

17 de Dezembro, 2017, 18:49

Compreendo o teu ponto vista @Shiny mas um jogo influente não é necessariamente um jogo de excelência. Já assistimos por diversas vezes jogos que aprimoraram ideias de outros títulos e que se revelaram muito superiores àqueles de onde beberam influências, sem terem sido revolucionários.
Na minha perspectiva jogo influente não implica jogo de excelência e acho que a review deverá reflectir o que o jogo é no momento de realização da mesma e não a pensar no que aquele poderá tornar-se (aí teríamos também de considerar possíveis dlcs, patches, reduções absurdas de preço, etc)
#17 Shiny

17 de Dezembro, 2017, 22:36

ze_samot
Compreendo o teu ponto vista @Shiny mas um jogo influente não é necessariamente um jogo de excelência. Já assistimos por diversas vezes jogos que aprimoraram ideias de outros títulos e que se revelaram muito superiores àqueles de onde beberam influências, sem terem sido revolucionários.
Na minha perspectiva jogo influente não implica jogo de excelência e acho que a review deverá reflectir o que o jogo é no momento de realização da mesma e não a pensar no que aquele poderá tornar-se (aí teríamos também de considerar possíveis dlcs, patches, reduções absurdas de preço, etc)
O problema é que o que uma pessoa considera "excelente" é demasiado dependente de perspectiva. É uma discussão fútil na minha opinião, é um beco sem saída. Porque eu e tu podemos chegar à conclusão que, por exemplo, o Odyssey tem mais qualidade que o 64 baseando puramente nas melhoras técnicas como gráficos, polimento dos controlos e camera imensamente superior. E para maioria das pessoas a discussão acaba aí, mas é importantíssimo ver o contexto de ambos os jogos:

Um foi o primeiro jogo 3D bom, provou que se pode traduzir uma série 2D para 3D o que obviamente significa algumas áreas para melhorar por falta de experiência, e o outro é tipo uma aglomeração de todo o trabalho de mais de 20 anos num jogo de extrema qualidade (eu sei que o Cappy faz com que o Odyssey seja muito mais que uma mera melhoria, mas you get my point). Quando se atribui contexto o 64 é uma obra de arte superior, pois o empenho e criatividade por parte dos designers permitiu a exploração do desconhecido. E quase ninguém consegue o fazer a este nível, eu até diria ninguém mesmo. Eu acredito firmemente em avaliar jogos com contexto em consideração, seja a altura que sai ou o que faz a partir dos seus antecessores, porque respeita criatividade o que eu acredito ser o coração de arte em geral - e o Miyamoto, tal como a sua equipa em 1996, merecem todos os elogios do mundo por o que fizeram.

Mas tu mencionaste um tópico que ainda me dá voltas ao cérebro. Esta cena dos DLC's, patches, updates literalmente modificam a arte original que comprámos, o que resultou na questão de modificar análises para corresponder ao estado atual de um jogo.
#18 Nosferato

18 de Dezembro, 2017, 10:25


113 horas de jogo. Terminei o bicho! Que maravilha de jogo. Incrível a história que acaba por ser completamente desvendada no final. Que murro no estomago, no que toca a complexidade, e ligação a tudo o que seja universo Xeno. Não é o meu ending preferido, mas adorei a forma como terminou. A dificuldade da batalha final também é um pouco do que se passou ao longo de todo o jogo. Uma aprendizagem/estratégia para cada batalha relevante.
Ainda me faltam algumas coisas, mas já ficaria bastante satisfeito se conseguisse todos os blades raros, coisa que até devo conseguir em poucas horas.
No global, meto este taco a taco com o Xenoblade 1. Gostei mesmo muito. A Monolith continua aí para as curvas e espero que continue por muitos anos ao lado da Nintendo.
#19 littlebloodyangel

18 de Dezembro, 2017, 11:39

Uau 113 horas é muito bom, tem uma boa longevidade.
Ainda falta me muito para acabar, vou com 25h com o Rex a Lv21 e ando por Kingdom of Uraya...
#20 niko_pt

31 de Janeiro, 2018, 10:27

Ao fim de um mês já vendeu 1.06 milhões de unidade.

Queres comentar? Faz o teu registo aqui.