icone deMonster Boy and the Cursed Kingdom vendeu 50 mil unidades na primeira semana

NOTÍCIA


Monster Boy and the Cursed Kingdom vendeu 50 mil unidades na primeira semana

Versão Nintendo Switch foi a mais vendida.

SWITCH
ESHOP

Por Nuno Nêveda a


2

Nuno Nêveda, Redactor Chefe

Fã de hábitos alimentares saudáveis, consta que implementou dietas rigorosas aos colegas de equipa. Quando não anda atrás de uma balança, costuma implorar por um novo F-Zero. E quem lhe tira uma partida de FIFA, tira-lhe tudo.

2 Comentários...

#1 ze_samot

12 de Dezembro, 2018, 17:11

Bons números para um título cujo desenvolvimento deve ter ficado de fora dos radares de muita gente e cujos consecutivos adiamentos também devem ter levado ao esquecimento por parte de outros. Mesmo assim creio que estes números crescerão rapidamente tendo em conta a divulgação que o jogo está a ter pelo bate boca da net e youtubers. Tudo bem que ainda existem poucas reviews no metacritic e as notas valem sempre o peso que lhes quisermos atribuir, não obstante o jogo está com média de 87!

Estou curioso para ler a review aqui do FNintendo.
#2 Sérgio Mota

13 de Dezembro, 2018, 09:06

ze_samot
Bons números para um título cujo desenvolvimento deve ter ficado de fora dos radares de muita gente e cujos consecutivos adiamentos também devem ter levado ao esquecimento por parte de outros. Mesmo assim creio que estes números crescerão rapidamente tendo em conta a divulgação que o jogo está a ter pelo bate boca da net e youtubers. Tudo bem que ainda existem poucas reviews no metacritic e as notas valem sempre o peso que lhes quisermos atribuir, não obstante o jogo está com média de 87!

Estou curioso para ler a review aqui do FNintendo.



Infelizmente muitos títulos indie acabam por ser prejudicados por factores desse tipo mas tal como afirmas o tempo acaba por fazer justiça a todos embora por vezes esse tempo seja demasiado longo e acaba por ditar o final de projetos que poderiam receber bastante conteudo adicional ( entenda-se gratuito) e até mesmo eventuais sequelas.

Queres comentar? Faz o teu registo aqui.