icone deMais jogos em língua portuguesa

CRÓNICA


Mais jogos em língua portuguesa

Opção cada vez mais necessária.

GERAL

Por Tiago Marafona a


10

Tiago Marafona, Redactor

O maldisposto da equipa. Um autêntico fã de RPGs japoneses e um belo apreciador de jogos de plataformas. Recentemente tornou-se um especialista de jogos de dança e de música.

10 Comentários...

#1 BraveBold

27 de Janeiro, 2019, 15:03

Muitas das vezes o custo é superior ao beneficio

Se bem que na Nintendo temos alguns jogos muito fáceis de traduzir que mesmo assim não o são

O Lego City é um exemplo a seguir. Uma jóia na tradução :D
#2 neveda

27 de Janeiro, 2019, 15:44

Cada vez mais jogos indie têm opção em português, embora a grande maioria seja português do Brasil.
#3 Nosferato

27 de Janeiro, 2019, 16:05

A ausência da nossa língua actualmente nos videojogos é injustificável e ainda por cima o preço que pagamos por eles.
Não digo que estúdios pequenos ou até mesmo indies tenham essa obrigação, agora empresas como a Nintendo, Square, Konami, Capcom, Ubisoft, Sony, etc... Não têm desculpa possível.
#4 Blair

27 de Janeiro, 2019, 16:23

Eu sou a favor no ponto de vista de que isso geraria mais emprego qualificado na área das línguas e tornaria os jogos mais acessíveis. Contudo, até mesmo a literatura sofre de um problema que é a tradução não qualificada; obras de autores consagrados como o Cormac McCarthy são traduzidas por pessoas não especializadas. As traduções em legendas dos filmes também têm alguns erros de vez em quando e os títulos traduzidos por vezes não acertam na ideia transmitida. Eu não sei se isto se deve à falta de tradutores qualificados ou se ocorre por favoritismo.
#5 Zetsu

27 de Janeiro, 2019, 19:19

Deixar isto aqui para simbolizar como o mundo vê Portugal


Tradução e legendagem/dobragem é caro.
O Brasil é um mercado muito mais forte e precisamente por terem uma tradição de dobrar (ou dublar) tudo o que recebem tornaram-se a referência mundial de quando se fala em "português", não é por acaso que os americanos ou outros estrangeiros quando aprendem português passam do "obrigado" para o "oi pessoal".
Depois tens o estigma generalizado do publico português que abomina dobragens em português.

Ou seja, mercado do português de portugal desvalorizado pelos próprios portugueses e ainda mais pelo mundo, estigma generalizado com produtos dobrados em português e a tradição instalada de conteúdos somente legendados, afastam as produtoras de apostar na nossa língua.

E o que fazem? Metem em brasileiro. Tens jogos de empresas que referiste como Capcom e Ubisoft que estão em português, mas do Brasil. Exemplo recente é o RE2 Remake. A verdade é que os brasileiros vão jogar o RE2 em PT-BR, mas os portugueses vão jogar em inglês.

Quanto à Sony. Estamos no país Playstation, não é preciso dizer muito. Acho bem que eles continuem a meter os títulos principais em português se isso lhes continua a gerar mais receitas e a manter o público debaixo da asa.

Não vejo o mercado a mudar grande coisa por parte da Nintendo, mas na minha opinião há uma franquia que seria muito positivo ter tradução que é o Pokémon. Seria caro, visto que é um RPG, mas tendo série dobrada e sendo uma produto para "crianças" (único publico em portugal que pode ouvir desenhos animados falar português) era capaz de gerar maior consumo.
#6 Adronat

27 de Janeiro, 2019, 19:41

@Zetsu não precisavas de menosprezar Portugal para valer o teu ponto de vista. Orgulho Tuga! :hero:
#7 Deus ex-Machina

27 de Janeiro, 2019, 22:01

Nosferato
A ausência da nossa língua actualmente nos videojogos é injustificável e ainda por cima o preço que pagamos por eles.
Não digo que estúdios pequenos ou até mesmo indies tenham essa obrigação, agora empresas como a Nintendo, Square, Konami, Capcom, Ubisoft, Sony, etc... Não têm desculpa possível.
Se tivesses uma empresa e as vendas fossem exactamente as mesmas quer o teu produto fosse em inglês ou português, perderias tempo e recursos em traduções?
Pode haver empresas mais user-friendly mas no fundo tudo se vai resumir à mais-valia que uma tradução para trazer.

Also, nunca vou perceber o ódio ao pt-br, é exactamente a mesma língua excepto que usam uma gramática (correcta) que em Portugal não é comum. O nosso país não tem consumidores suficientes para justificar pt-pt.
#8 orochi

27 de Janeiro, 2019, 22:06

Discordo com grande intensidade...se não fosse a esmagadora maioria dos meios de entretenimento que consumi enquanto garoto estarem na lingua original teria tido mais dificuldades em chegar ao nível de inglês que possuo e não teria o mesmo gosto que tenho em aprender outras línguas estrangeiras.

Dava-me imenso jeito o emprego qualificado enquanto tradutor mas não vendo esta minha convicção por isso. Tenho orgulho em ter sido obrigado a pesquisar muita coisa da Civilopedia que vinha no Civilization original e em saber ao que soa a voz do Charles Bronson e afins.

Com estes facilitismos de agora andamos, já há uns anos, a criar gerações de incapazes e preguiçosos no que a línguas estrangeiras diz respeito... só sabem consumir entretenimento em português...o Nosso Rogério Samora dá um Scar impecável mas também teria achado imensa piada em garoto ter percebido que a voz do Mufasa é a mesma do Darth Vader.

Cartoon Network dobrado em português deveria ser crime.
#9 gusema

27 de Janeiro, 2019, 22:44

Deus ex-Machina
Also, nunca vou perceber o ódio ao pt-br, é exactamente a mesma língua excepto que usam uma gramática (correcta) que em Portugal não é comum. O nosso país não tem consumidores suficientes para justificar pt-pt.
Falo por mim mas acho que é mais uma questão de estranheza do que ódio. Não tenho problema nenhum com o pt-br mas simplesmente soa-me demasiado estranho. Em termos de legendas não me afecta tanto mas no que toca a vozes não me parece natural e parece que estou a ouvir uma língua estrangeira apesar de perceber a maior parte. Isto para não falar que desconheço muitos dos termos específicos de pt-br, ao ponto de perceber melhor inglês.

orochi
Com estes facilitismos de agora andamos, já há uns anos, a criar gerações de incapazes e preguiçosos no que a línguas estrangeiras diz respeito...
A maior parte da minha geração continua a consumidor produtos maioritariamente estrangeiros. O cinema continua a ser todo ele estrangeiro e, a não ser em animação, todo ele legendado e não dobrado. Com as séries de TV acontece exactamente o mesmo. Em termos musicais até acredito que os artistas portugueses comecem a ocupar um pouco mais a antena mas não acho que seja por isso que vamos ter uma geração de incultos. Já para não falar que em termos de aprendizagem de línguas até estamos bem desenvolvidos.

orochi
Com estes facilitismos de agora andamos, já há uns anos, a criar gerações de incapazes e preguiçosos no que a línguas estrangeiras diz respeito... só sabem consumir entretenimento em português...o Nosso Rogério Samora dá um Scar impecável mas também teria achado imensa piada em garoto ter percebido que a voz do Mufasa é a mesma do Darth Vader.

Cartoon Network dobrado em português deveria ser crime.
Mas pelo menos até aos 10 anos de idade não tens uma competência de leitura que te permita acompanhar as legendas. Em jogos em que tens todo o tempo do mundo para ler sim, mas em filmes de animação e desenhos animados com o texto sempre a correr não. É normal que o conteúdo dirigido a essas idades seja todo ele dobrado.
#10 Adronat

27 de Janeiro, 2019, 23:04

As crianças nem precisam de legendas para aprender línguas estrangeiras. Associam palavras/sons a determinados eventos e objectos e partem daí.

orochi
...o Nosso Rogério Samora dá um Scar impecável mas também teria achado imensa piada em garoto ter percebido que a voz do Mufasa é a mesma do Darth Vader.
Cum c...que grande mindblow me deste agora.

[​IMG]

Queres comentar? Faz o teu registo aqui.